Artigos e outras
publicações

Neste espaço, compartilhamos artigos científicos, ensaios e outras publicações que têm sistematizado nossas pesquisas e interesses sobre currículo, matemática e políticas educacionais.

Desterritorializando la escuela como la conociamos: Perspectivas socioculturales de la Educación Matemática en el contexto de la Pandemia

“Esta coletânea, mais do que reunir textos e respostas para a Educação Matemática, pode ampliar nosso campo de visão para questionar o que será da Educação a partir de agora.
 
Afinal, o que é esse normal a que se espera voltar após da pandemia ter paralisado o mundo, suspendido nossas provisórias certezas e ter causado, até a presente data, cerca de novecentos mil óbitos? Certos de que os danos e prejuízos causados não serão facilmente superados, à Educação Matemática cabe também buscar, reconhecer e consolidar caminhos para contribuir com projetos emancipatórios de reconstrução social. Nessa direção, articulam-se as perspectivas e epistemologias do Sul da/para a Educação Matemática contidas nessas páginas.” (Dos editores)
Vol. 13 Núm. 1 (2020) 
Número editado por Carolina Tamayo y Júlio do Valle

Neste dossiê, tive o privilégio de ser coautor do educador e amigo Cacique Ubiratã Gomes, intitulado “Políticas curriculares para adiar o fim do mundo e poéticas sobre a existência na educação escolar indígena”

No texto, conhecemos um pouco mais sobre a organização curricular das escolas indígenas coordenadas pelo prof. Ubiratã que, durante a pandemia do Covid-19, utilizaram o conceito de Tema Gerador de Paulo Freire para estruturar o trabalho pedagógico a partir de temas relevantes à cada comunidade. Na imagem ao lado, o Tema Gerador Procriação dos Animais e Caça é desdobrado nas disciplinas escolares.

“O resgate da escola pública utópica de Freire como possibilidade inscrita na história: o Movimento de Reorientação Curricular em São Paulo (1989-1992)” – Abril, 2020.

Após a apresentação, no Colóquio Internacional Educação e Contemporaneidade, em que foi criada a Revista Internacional Educon, este texto sistematiza e aprofunda os aspectos abordados.
 
“Os currículos brasileiros e suas políticas sob as perspectivas socioculturais da Educação Matemática: das prescrições aos currículos pensadospraticados”

Na Revista Ciência & Cultura da SBPC, publiquei o ensaio “Jogos de sombras, ecos e refrações: a vilania em matemática”, em que abordo a natureza cultural/convencional do conhecimento matemático a partir de interfaces com a literatura, em especial com a obra em torno do detetive Sherlock Holmes, de Conan Doyle.

O texto “Alteridade nos currículos de matemática: a inversão do vetor curricular e ação dos atores na escola” foi escrito por mim e pela profa. Andréia Lunkes Conrado, articulando aspectos de nossas pesquisas de Doutorado.

Foi publicado na Revista Teias, da UERJ.

O texto “Inverter o vetor do currículo: o Movimento de Reorientação Curricular de Freire em debate” foi escrito por mim e pelo meu orientador de Doutorado, o prof. Vinício de Macedo Santos (USP), e publicado no dossiê da Associação Brasileira de Currículo (ABdC) na Revista e-curriculum da PUC-SP.

“A influência de Bertrand Russell no posicionamento político-ideológico da obra de Ubiratan D’Ambrosio” – Texto resultando da pesquisa de Mestrad, publicado na Revista Regional da SBEM-São Paulo.

Na Revista Internacional de Educación para la Justicia Social (RIEJS), publiquei uma resenha do livro “Pedagogia da Indignação” publicado postumamente com os últimos escritos de Paulo Freire, em um dossiê dedicado pela organização da revista ao pensamento e à obra do educador brasileiro.

“História oral: uma possibilidade de justiça cognitiva no currículo” é parte de uma pesquisa realizada durante o Mestrado que discute a História Oral como alternativa para a efetivação de uma perspectiva de justiça cognitiva no currículo.

A partir do meu Trabalho de Conclusão de Curso na graduação, escrevi “Polarização Empírico-formal no Ensino de Geometria: uma contribuição histórico-reflexiva à educação geométrica da criança”.